Candinha

13 de março de 2018

Fontes

Dona Candinha e seu parecer sobre a filiação do deputado Antônio MINERAL ao PSB:

12 de março de 2018

Tocando a marcha

Para Dona Candinha, depois de se livrar do peso do 7 de Abril, Luciano Cartaxo agora desacelerou dos prazos e só canta Almir Sater:

11 de março de 2018

Quem cantou pra quem?

Ao pensar no reencontro entre Luciano Cartaxo e Cássio, Dona Candinha fechou os olhos e lembrou de bela canção de Chico Buarque:

09 de março de 2018

Instinto de sobrevivência

Dona Candinha sobre a volta do vice-prefeito Manoel Junior às boas com o prefeito Luciano Cartaxo:

08 de março de 2018

Torpedo

Assim que soube do incidente no prédio da Vice-Governadoria, Dona Candinha ligou para o Blog com uma pergunta curta:

08 de março de 2018

Marchinha

Dona Candinha cantou uma música que representa o sentimento de Romero Rodrigues, incensado para deixar a Prefeitura de Campina Grande e disputar o Governo do Estado:

07 de março de 2018

Sopro

Sugestão musical de Dona Candinha para o vice-prefeito Manoel Junior (MDB), que viu evaporar o sonho de assumir a Prefeitura de João Pessoa:

06 de março de 2018

Vitrola

Dona Candinha apareceu com outro torpedo musical. Dessa vez, usou canção de Fernando Mendes para sugerir versos de Cássio para Luciano Cartaxo?:

05 de março de 2018

Telefone

Segundo Dona Candinha, o governador Ricardo Coutinho está cantando uma conhecida música de Tim Maia para Luciano Cartaxo:

02 de março de 2018

Receita errada

Dona Candinha já havia alertado e voltou à tona hoje para comentar o ‘cozinhamento’ a que foi submetido o prefeito Luciano Cartaxo no caldeirão da Oposição:

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Um dia é do ‘réu’, outro do relator”


Foliando

Dona Candinha sobre a determinação do uso de tornozeleira eletrônica para investigados na Operação Calvário:

"Isso é que é pular carnaval com um pé só!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será o despacho do desembargador Ricardo Vital, a quem cabe a tarefa de adaptar as medidas cautelares contra Ricardo Coutinho?
NÚMERO

1

Assassinato por hora no Ceará, depois do motim dos policiais militares.