Opinião

O que Atibaia tem?

18 de junho de 2020 às 14h12 Por Heron Cid
O sítio de Atibaia, a casa de Atibaia: quem disse que a história não se repete?

O cidadão de Atibaia, município paulista de pouco mais de 142 mil habitantes, deve estar se perguntando: quem aqui jogou pedra na cruz?

Situada 800 metros acima do nível do mar, a fama da cidade só desce graças a feitos de visitantes ilustres.

O nome de Atibaia ganhou o noticiário com frequência por conta (sem trocadilho) do sítio frequentado pelo ex-presidente Lula, a quem a Justiça imputa a propriedade oculta.

Hoje, o município  voltou às manchetes. Era o destino clandestino do ex-policial Fabrício Queiroz, o homem mais badalado da República desde que se descobriu a suspeita de um esquema envolvendo o filho do presidente, Flávio Bolsonaro, de quem era diligente assessor na Assembleia do Rio.

Quem disse que a história não se repete?

Em mais uma dessas coincidências que só o Brasil é capaz de produzir, o sumido que desbancou o sucesso do desaparecimento de Belchior estava instalado secretamente na casa de um advogado de Flávio e do pai, o presidente da República em pessoa.

Atibaia pôs fim ao grande enigma dos últimos tempos. O “cadê o Queiroz?” já é coisa do passado desde as primeiras horas da manhã quando a Polícia, a pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro e por força de decisão judicial, desvendou o mistério.

Nenhuma mente, por mais criativa, imaginaria tanto. Só um roteirista de filme conseguiria pensar na personagem tão enigmática sendo achada num endereço tão suspeito quanto as relações mantidas no gabinete da Assembleia fluminense.

A batida policial consagrou, definitivamente, a vocação de Atibaia para a ocultação. Mas, o livro de Mateus 10:26 já alertara dois mil anos atrás: “Porque nada há oculto que não seja revelado”. (Mateus 10:26)

A investigação agora caminha na direção do versículo do colete de Bolsonaro para todas as ocasiões: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. (João 8:32)

Que ela venha a galope.

Vídeo

Heron Cid no Hora H: o “novo normal” na eleição de 2020


Mal cheirosa

Dona Candinha sobre o barulho resistência de setores governistas ao nome de Ricardo Feder para o MEC:

"Vai Feder!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
E se não for Tovar e nem Bruno em Campina Grande, pelo bloco de Romero?
NÚMERO

R$ 798 milhões

Valor total do pacote de obras anunciado pelo governador João Azevêdo para retomada da Paraíba.