Bastidores

Uma ilustre voluntária no front da covid em Campina

23 de maio de 2020 às 17h10
A atitude de Michelline Rodrigues era mantida sob anonimato. Até o Blog descobrir...

Uma presença discreta tem percorrido os corredores, enfermarias e UTI do Hospital Pedro I, devidamente paramentada.

Por trás da máscara e dos equipamentos de proteção individual, a médica Micheline Rodrigues.

A primeira dama de Campina Grande reforça a equipe do principal complexo de tratamento às vítimas da Covid-19 na cidade.

Por opção pessoal, a mulher do prefeito Romero Rodrigues decidiu participar do esforço de guerra no Pedro I.

E como voluntária. Micheline não recebe um centavo pelo trabalho que chega a 10 horas por dia de seu tempo.

Oftalmologista reconhecida, ela está com consultório particular temporariamente fechado e se sensibilizou com a preocupação do marido sobre o déficit de médicos na linha de frente no hospital-referência do Município na assistência às vítimas da Covid-19.

Não esperou convite e tomou a decisão de agir.

Sem disfarçar o orgulho, conforme relatos ao Blog, Romero tem dito a confidentes próximos que a atitude da sua companheira deu mais um estímulo à “luta diária” para enfrentar essa guerra.

São dois gestos num só. Um à Campina. Outro ao marido.

Vídeo

Pandemia, prefeitos e a despressurização eleitoral; comentário de Heron Cid na Hora H


Submerso

Dona Candinha sobre o escândalo e suspeitas de desvios envolvendo mais um governador fluminense:

"O Rio está afogado!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quem são os integrantes do tal “gabinete do ódio” na Paraíba?
NÚMERO

1.290

Novos casos confirmados de covid-19 na Paraíba, nas últimas 24 horas, número que fez a Paraíba chegar a 10.209 diagnósticos da doença.