Bastidores

A boca fala o que o coração está cheio

20 de maio de 2020 às 13h51

O que deu nas lideranças nacionais? Verdade que não se faz mais estadistas como antes, mas a coisa degringolou justamente quando mais precisamos de lenitivos.

E não é culpa da pandemia. O fenômeno, ou doença, já vem de tempos.

Lula da Silva (PT), ex-presidente, deu ontem, mais uma nova desastrada frase para o obscuro arquivo nacional de bizarrices públicas.

Como alerta o ex-senador Mão Santa, atentai-vos para o que disse o manda-chuva do PT quando atacava a política econômica do governo: “Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus”.

Sim, o monstruoso “ainda bem” saiu da boca de um ex-presidente popular de dois mandatos numa República do tamanho do Brasil.

O “ainda bem” de Lula veio num dia pra lá de mau, trágico. Na terça-feira em que a Nação chorava o recorde de mortes, em 24 horas, por coronavírus.

No mesmo dia, quase simultâneamente, numa live com o jornalista pernambucano Magno Martins, parceiro de conteúdo aqui deste Blog, o presidente Jair Bolsonaro disse, entre outras coisas, que “quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma Tubaína”.

Uma flatulência idiota seguida de risos impróprios, mas distante de superar a ‘satisfação’ macabra do ex-presidente.

Só na noite desse festival de patifaria, Lula e Bolsonaro tinham 1.179 motivos e caixões para segurar suas línguas. E uma procissão de 17.408 famílias de luto para se compadecerem.

E nem adianta o esforço de seguidores das seitas concorrentes para minimizar os excrementos verbais de ambos. Ou muito menos tentar suavizar e chamar “isso” de “força de expressão”.

O que foi dito está dito. As falas não oferecem brechas para meias interpretações.

Quando o cérebro sei trai, as verdadeiras intenções são vomitadas. Como está escrito, “a boca fala o que o coração está cheio”.

Vídeo

Hora H: os Bolsonaro e Queiroz, cada enxadada é uma minhoca


Vitamina C

Conselho de um bolsonarista contra covid-19:

"Laranja em casa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Como Cícero pode conciliar, em 2020, os interesses do governador João Azevêdo e o projeto do PP em 2022?
NÚMERO

488

Número de suspeitos presos pelo Batalhão de Policiamento de Motocicletas, instalado há um ano na Paraíba.