Bastidores

Moro 1, Bolsonaro zero

29 de abril de 2020 às 19h38

Sérgio Moro resistiu à mudança no comando da Polícia Federal pelos motivos invocados pelo presidente.

Jair Bolsonaro alegava dificuldade de acesso à PF e a relatórios de investigação. Queria mais e se irritava com inquéritos envolvendo aliados (vide mensagem printada de Moro).

Escolheu alguém do colete e da sua confiança e este atendia pelo nome de Alexandre Ramagem, a sua obstinação tanta que foi capaz de preferir perder o ministro mais popular do seu governo.

A escolha deu com os burros n’água. A posse foi suspensa hoje por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Interinamente, responde pela direção da Polícia, Disney Rossetti, até que o confronto jurídico tenha um desfecho.

Disney, número dois da PF, foi a alternativa apresentada por Moro em caso de necessidade irrevogável de substituição.

Bolsonaro disse ‘não’. Só queria Ramagem, com quem, nas palavras do presidente, comeu “pão com leite condensado” no café da manhã em sua casa.

A nomeação do amigo do presidente está suspensa. Por ora, Bolsonaro tem que engolir Disney e adiar a fantasia que almeja na PF.

Vídeo

Heron Cid no Hora H: “O mérito de Bolsonaro”


Amém

Dona Candinha sobre a escolha, enfim, depois de muita polêmica, do novo ministro da Educação. E é pastor:

"Aleluia!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
E se não for Tovar e nem Bruno em Campina Grande, pelo bloco de Romero?
NÚMERO

1.229

Número de mortos pela covid-19 na Paraíba, segundo boletim da Secretaria de Saúde do Estado (sexta-feira, 10.07.2020)