Brasas

As novas caras da Justiça e da PF

28 de abril de 2020 às 12h34
André Mendonça e Alexandre Ramagem

André de Almeida Mendonça da Advocacia Geral da União, no Ministério da da Justiça e Segurança Pública, no lugar de Sérgio Moro. O delegado Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal.

Foram essas as soluções encontradas pelo presidente Jair Bolsonaro para tentar virar a página da crise gerada pela troca no comando da PF, que culminou com o pedido de demissão do então ministro.

O novo ministro da Justiça, pastor da Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília, integrava a AGU desde 2000, quando encerrou sua atividade como advogado concursado da Petrobras (1997-2000).

Alexandre Ramagem dirigia a Agência Brasileira de Inteligência. Antes, cuidou da guarda pessoal do então candidato à presidência, Jair Bolsonaro.

As mudanças ocorrem em meio à acusações de interferências na Polícia Federal. O presidente nega.

Vídeo

Heron Cid no Hora H: o “novo normal” na eleição de 2020


Mal cheirosa

Dona Candinha sobre o barulho resistência de setores governistas ao nome de Ricardo Feder para o MEC:

"Vai Feder!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
E se não for Tovar e nem Bruno em Campina Grande, pelo bloco de Romero?
NÚMERO

R$ 798 milhões

Valor total do pacote de obras anunciado pelo governador João Azevêdo para retomada da Paraíba.