Bastidores

Campina Grande: o destino partidário de Bruno Cunha Lima

26 de fevereiro de 2020 às 13h36
Bruno Cunha Lima, ex-deputado estadual, já achou o 'caminho', falta o 'veículo'

Bruno Cunha Lima (sem partido) é nome no páreo da largada da sucessão de Campina Grande.

Bem situado nas pesquisas, como a revelada no fim do ano passado pelo Instituto Opinião, encomendada pelo Portal MaisPB/Programa Hora H, o ex-deputado estadual continua sem partido.

Eis o paradoxo. Mesmo descolado do grupo do prefeito Romero Rodrigues (PSD) e do clã Cunha Lima, tem razoável intenção de voto, mas não um partido para chamar de seu.

Ele estuda sondagens do PSC e do MDB. Foi alvo recente de especulações sobre o Cidadania, partido do governador.

Uma fumaça acesa, mesmo que ainda não tenha fogo, e que serviu os dois lados. Ambos negaram, mas os recados foram dados no tabuleiro.

Até agora, não tomou decisão e nem bateu martelo sobre seu destino.

Sabe, de antemão, que a escolha tem que ser pesada, refinada e filtrada, porque é determinante para seu objetivo.

Ingressar numa sigla que, mais adiante, negue legenda ou negocie uma vice seria um desastre.

Filiar-se a um partido que não coadune com sua mensagem de renovação política, também.

A boa notícia para Bruno. Ele ainda tem um mês de prazo para achar o carro que pode lhe garantir motor para a estrada de 2020.

Vídeo

Veja meu comentário na Hora H: “Queda de receita desafia contas públicas e economia”


A inversão…

Dona Candinha e a sentença da quarentena:

"A gente preso e os presos soltos!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Na roleta russa lançada, quem vai arriscar sair de casa?
NÚMERO

114 mortos

Número de pacientes mortos pela covid-19 no Brasil, nas últimas 24 horas, segundo boletim do Ministério da Saúde.