Opinião

O recado de Moro na Paraíba

17 de fevereiro de 2020 às 19h37 Por Heron Cid
Sérgio Moro, durante entrevista coletiva na sede da Polícia Federal, em João Pessoa

Gestos falam mais do que palavras. E quando gestos se juntam às palavras são mais eloquentes.

A passagem do ministro Sérgio Moro, em visita surpresa, por João Pessoa, gritou alto.

Com presença e entrevista, Moro referendou o trabalho da Polícia Federal e do Ministério Público paraibano no combate à corrupção.

Foi uma espécie de referendo pelo esforço em curso nas principais operações dos últimos meses, entre elas, a mais famosa, a Calvário.

Oficialmente, e via assessoria, o ministro quis dissociar a agenda na Paraíba das últimas descobertas da força-tarefa e consequentes prisões e denúncias.

Garantiu que a visita já estava programada desde a inauguração da nova sede da PF.

Impossível, todavia, não ligar os fatos.

A palavra de Moro foi de incentivo ao que chama de um dos principais “males do país”, a corrupção e a criminalidade.

“Nós temos incentivado a integração entre as Polícias Federal e Rodoviária Federal com as polícias locais. Aqui, na Paraíba, tem havido uma excelente integração com o Gaeco do Ministério Público Estadual. Fica meu elogio ao Gaeco e ao trabalho que vem sendo feito. Cabem todos os elogios”.

No script, o ex-juiz federal de Curitiba ressaltou a independência e autonomia das ações da PF e do Gaeco. O que não se duvida.

Mas o recado foi dado: na luta contra os crimes de colarinho branco, as duas instituições paraibanas podem contar com o apoio do Ministério da Justiça. E com o próprio Moro!

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Coronavírus lá fora e o efeito dentro da gente”


Os próximos 9 meses

Assanhada, Dona Candinha diz que nem tudo é privação e saiu-se com essa:

"Vêm aí os filhos da quarentena!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Na roleta russa lançada, quem vai arriscar sair de casa?
NÚMERO

240 mortes

Levantamento os casos do Brasil no último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na noite desta quarta-feira.