Bastidores

A palavra de Adriano

11 de fevereiro de 2020 às 15h35
Adriano Galdino, presidente da Assembleia

O presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB), foi curto e grosso ao comentar, hoje, com repórteres, as declarações, primeiro, do deputado federal Damião Feliciano (PDT), e, depois, do governador João Azevêdo (Cidadania) sobre o processo de impeachment que corre na Casa e aguarda parecer jurídico.

Para Damião, o pedido protocolado pela oposição soa a golpe. Para João, é uma “excrescência”.

Até aqui, Galdino havia se posicionado apenas em nota institucional. Instado a falar, sentenciou: “Sobre esse tema eu não respondo mais nada. O que eu disse está dito, não vou polemizar”.

Adriano disse que a Paraíba espera uma “posição” dele e, “nesse sentido a Assembleia está pronta para contribuir e para ajudar na construção de uma Paraíba cada vez melhor e mais justa para todos”.

A Presidência aguardará o pronunciamento formal da Procuradoria da Casa sobre a legalidade do pedido de “duplo impeachment”.

E não deve demorar, segundo o próprio presidente avisou: “Em breve teremos um parecer e nesse caso, como é regimental, eu vou dar e fazer o meu juízo de valor sobre a admissibilidade e irei me pronunciar de forma escrita em relação a CPI da Calvário”.

O arquivamento ou tramitação está nas mãos dele. Aguarde-se, pois.

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Um dia é do ‘réu’, outro do relator”


Foliando

Dona Candinha sobre a determinação do uso de tornozeleira eletrônica para investigados na Operação Calvário:

"Isso é que é pular carnaval com um pé só!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será o despacho do desembargador Ricardo Vital, a quem cabe a tarefa de adaptar as medidas cautelares contra Ricardo Coutinho?
NÚMERO

1

Assassinato por hora no Ceará, depois do motim dos policiais militares.