Bastidores

Pollyanna, o G11, a dissidência, o impeachment e o ‘aborto’

10 de fevereiro de 2020 às 23h11
Para Pollyana Dutra, oposição pode estar bem viva, mas denúncia é morta

O G11 – grupo paragovernista na Assembleia – já foi mais uníssono. Hoje, no dia em que o líder Felipe Leitão (DEM) defendeu a tramitação e análise do pedido de impeachment, formalizado pela Oposição, a deputada Pollyana Dutra (PSB), presidente da CCJ, divergiu.

No mesmo programa que Leitão falou, o Hora H, da Rádio Pop FM 89,3 e emissoras da Rede Mais, Dutra disse que a denúncia é “natimorta” e se disse “radicalmente contra” o debate em torno do afastamento do governador João Azevêdo (Cidadania) e da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT).

Para a deputada de Pombal, a denúncia é um aborto. Só falta quem enterre…

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Um dia é do ‘réu’, outro do relator”


Foliando

Dona Candinha sobre a determinação do uso de tornozeleira eletrônica para investigados na Operação Calvário:

"Isso é que é pular carnaval com um pé só!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será o despacho do desembargador Ricardo Vital, a quem cabe a tarefa de adaptar as medidas cautelares contra Ricardo Coutinho?
NÚMERO

1

Assassinato por hora no Ceará, depois do motim dos policiais militares.