Ponto de Interrogação

Solto um dia depois de ser preso, Ricardo adotará linha agressiva ou tom moderado?

21 de dezembro de 2019 às 17h44
Penitenciária de Segurança Média, em Mangabeira, para onde Ricardo e sete presos da Operação Calvário foram levados

Nas próximas horas, o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) estará livre e de volta ao front político, depois de passar as últimas 24 horas preso na Polícia Federal e na Penitenciária de Segurança Média de Mangabeira, por determinação do desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba, decisão derrubada pelo ministro Napoleão Nunes, do Superior Tribunal de Justiça.

Não se sabe ao certo qual postura Coutinho adotará depois do vendaval que sacudiu a Paraíba e sua carreira política: se ele repetirá a tônica do ex-presidente Lula da Silva e do PT indo pra cima do Judiciário, do Ministério Público e da imprensa ou se optará por uma atuação mais moderada, técnica, lamentando o episódio, sem confrontar as instituições, como fez durante a audiência de custódia, ontem, no Fórum Criminal.

Pelo quadro jurídico, a segunda opção é mais provável.

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Um dia é do ‘réu’, outro do relator”


Foliando

Dona Candinha sobre a determinação do uso de tornozeleira eletrônica para investigados na Operação Calvário:

"Isso é que é pular carnaval com um pé só!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será o despacho do desembargador Ricardo Vital, a quem cabe a tarefa de adaptar as medidas cautelares contra Ricardo Coutinho?
NÚMERO

1

Assassinato por hora no Ceará, depois do motim dos policiais militares.