Opinião

A largada de Diego Tavares na maratona de 2020

22 de novembro de 2019 às 13h32 Por Heron Cid
Secretário tocou uma sinfonia perfeita aos ouvidos de quem terá peso na escolha do grupo e na sucessão de 2020

Os detalhes costumam significar e explicar o todo. A solenidade de entrega da Medalha Cidade de João Pessoa ao secretário Diego Tavares, ontem, foi carregada deles.

Muitos, numa Chop Time lotada, ficaram atentos aos sinais.

Ele dedicou páginas do seu pronunciamento escrito para valorizar e enaltecer a Câmara, a outorgante da honraria, destacou a família como esteio, e discorreu sobre os cargos públicos que ocupou e o que conseguiu legar coletivamente neles.

Falou, nesse instante, para a base política, cuja relação desobstruída pode facilitar seu caminho, e ao mesmo tempo para o social, personificado em diversos segmentos que lá estavam para ouví-lo.

De quebra, levou ao evento gente que pesa e influencia na opinião pública. Postou-se como um nome que agrega e que soma ao capital que já é da gestão municipal.

Nas vésperas da decisão do prefeito Luciano Cartaxo (PV) sobre o ungido à sua sucessão, Diego tocou os acordes mais melódicos aos ouvidos de quem terá peso total na escolha.

Tavares reservou no seu discurso um capítulo de gratidão a Luciano, especialmente pela oportunidade de figurar em quatro ecléticos cargos na Prefeitura (Trabalho, Comunicação, IPM e Desenvolvimento Social).

Guardou palavras de afeto e respeito dirigidas ao irmão gêmeo de Luciano, Lucélio Cartaxo, a quem tratou como companheiro de jornadas.

E registrou o papel da primeira-dama, Maísa Cartaxo, em toques da gestão e no saldo positivo das batalhas políticas, entre elas, a do empenho em João Pessoa pela vitória da senadora Daniella Ribeiro, de quem Diego é suplente.

O anfitrião e homenageado soube, como um maestro, tocar a sinfonia perfeita para a ocasião.

Corredor e esportista, Diego treinou bem ontem e se habilitou para a maratona de 2020. Agora depende do ‘sim’ de Luciano para a largada!

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Coronavírus lá fora e o efeito dentro da gente”


Os próximos 9 meses

Assanhada, Dona Candinha diz que nem tudo é privação e saiu-se com essa:

"Vêm aí os filhos da quarentena!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Na roleta russa lançada, quem vai arriscar sair de casa?
NÚMERO

240 mortes

Levantamento os casos do Brasil no último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na noite desta quarta-feira.