Opinião

Um resgate histórico: a cidadania além da morte

19 de novembro de 2019 às 09h41 Por Heron Cid

Cinquenta e dois anos atrás, dom José Maria Pires, falecido em 2017, era pra ter recebido um título de cidadania paraibana.

A solenidade não houve. O regime militar, que ditava as regras à época, não permitiu, como conta a história.

O reconhecimento e homenagem ficaram retidas por cinco décadas.

Em novos tempos, o título foi removido da gaveta do presidente da Assembleia, Adriano Galdino.

Ontem, num ato icônico de plena democracia, o Poder Legislativo fez esse resgate histórico e entregou a homenagem simbolicamente.

Um presente para este paraibano por adoção, de relevantes e corajosos serviços prestados ao Estado, que faria 100 anos neste 2019.

Reconhecimento a posteriori, não fora de tempo de restaurar a justiça pelo símbolo de luta que representou e representa.

O evento de ontem é o gesto afetuoso da Paraíba documentado. Por que, para quem o conheceu de perto, a genuína paraibanidade de dom José foi reconhecida muito além do oficial e dos títulos.

E vai além dos limites da morte.

Vídeo

Não ouviu? Ouça e reveja programa Hora H desta sexta (17.01.2020)


Novo calendário

Se um dia for parlamentar, Dona Candinha já tem em mente um projeto de lei para instituir um dia de uma categoria em evidência na Paraíba:

"Dia do delator!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
O pedido de CPI das OS, anunciado pela oposição, vai incluir deputados citados em delações?
NÚMERO

R$ 3 milhões

Investimento do Grupo Drumattos, em nova unidade do Camarada Camarão, a ser inaugurada em João Pessoa, com previsão de 80 empregos.