Bastidores

Na visita à Paraíba, Bolsonaro encontra dois PSL’s

11 de novembro de 2019 às 07h41
Julian Lemos e Cabo Gilberto, racha na Paraíba representa a divisão do PSL pelo Brasil

Menos de um ano de sua posse, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) convive com um partido, antes coeso, totalmente dividido. Na sua visita hoje à Campina Grande, Bolsonaro encontrará um PSL também rachado na Paraíba.

O presidente estadual da sigla, Julian Lemos, anunciou publicamente boicote ao evento em que o presidente inaugurará o Complexo Aluízio Campos, obras que passou antes por dois governos (Dilma e Temer).

Indignado, Lemos disse, via nota, que não participará do “teatro” com as presenças de Aguinaldo Ribeiro, deputado federal e ex-ministro de Dilma e com o prefeito Romero Rodrigues (PSDB), a quem o parlamentar do PSL associa a Operação Famintos.

Do outro lado, o deputado estadual Cabo Gilberto (PSL) conclamou seus seguidores nas redes sociais a comparecer à solenidade. “Vamos fazer a maior recepção de um presidente na visita em nossa querida Paraíba. Será o maior evento político da Paraíba no ano de 2019”, previu Gilberto.

Essa será a primeira visita de Bolsonaro à Paraíba, desde sua eleição em 2018. Pelo visto, promete muitas emoções.

Vídeo

Heron Cid no Hora H: “Pai, mãe e filha, uma família devastada pela pandemia”


Mal cheirosa

Dona Candinha sobre o barulho resistência de setores governistas ao nome de Ricardo Feder para o MEC:

"Vai Feder!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
E se não for Tovar e nem Bruno em Campina Grande, pelo bloco de Romero?
NÚMERO

R$ 798 milhões

Valor total do pacote de obras anunciado pelo governador João Azevêdo para retomada da Paraíba.