Opinião

Fim da trégua da oposição; Governo João volta à mira

6 de novembro de 2019 às 11h28 Por Heron Cid
Wallber Virgolino e Cabo Gilberto voltam a pegar em armas e e disparar munição contra governos socialistas; o de ontem e o de hoje

Houve um tempo, e não faz muito tempo, que a oposição paraibana, especialmente na Assembleia, paralisou, anestesiada pela crise entre PSB e governo.

A pausa foi compreensível. Deputados mais ávidos queriam saber a extensão e profundidade do atrito.

Medido o choque, a pancada do bumbo vai mudando.

É o que dá pra identificar nos últimos movimentos de dois emblemáticos deputados, Cabo Gilberto Silva (PSL) e Wallber Virgolino (Patriotas), os novatos da bancada oposicionista.

Os dois estavam estrategicamente poupando o governador João Azevêdo em razão do ex-governador Ricardo Coutinho ser o principal alvo de ambos, mas agora a espera deu lugar ao retorno da ofensiva.

Wallber fez postagem-crítica recente sobre compra de filtros no governo anterior e estampou foto com Ricardo, João e a deputada estadual Cida Ramos, tratando o trio como “velha política”.

Cabo Gilberto acaba de pedir a cabeça do comandante da Polícia Militar, Euller Chaves, a quem acusa de falta de imparcialidade para investigar suspeitas de arapongagem contra o atual secretário de Segurança, Jean Nunes.

Não precisa nem perguntá-los para entender a nova marcha. Como setores majoritários da oposição, esperaram e ainda não viram o desenlace final dos governos de ontem e de hoje. Ou pelo menos, não viram como gostariam.

Enquanto esperam, voltaram a espalhar chumbo. E, se depender do cabo e do delegado, João, até então poupado, também entrou na linha de tiro.

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Coronavírus lá fora e o efeito dentro da gente”


Os próximos 9 meses

Assanhada, Dona Candinha diz que nem tudo é privação e saiu-se com essa:

"Vêm aí os filhos da quarentena!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Na roleta russa lançada, quem vai arriscar sair de casa?
NÚMERO

240 mortes

Levantamento os casos do Brasil no último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na noite desta quarta-feira.