Opinião

Fim da trégua da oposição; Governo João volta à mira

6 de novembro de 2019 às 11h28 Por Heron Cid
Wallber Virgolino e Cabo Gilberto voltam a pegar em armas e e disparar munição contra governos socialistas; o de ontem e o de hoje

Houve um tempo, e não faz muito tempo, que a oposição paraibana, especialmente na Assembleia, paralisou, anestesiada pela crise entre PSB e governo.

A pausa foi compreensível. Deputados mais ávidos queriam saber a extensão e profundidade do atrito.

Medido o choque, a pancada do bumbo vai mudando.

É o que dá pra identificar nos últimos movimentos de dois emblemáticos deputados, Cabo Gilberto Silva (PSL) e Wallber Virgolino (Patriotas), os novatos da bancada oposicionista.

Os dois estavam estrategicamente poupando o governador João Azevêdo em razão do ex-governador Ricardo Coutinho ser o principal alvo de ambos, mas agora a espera deu lugar ao retorno da ofensiva.

Wallber fez postagem-crítica recente sobre compra de filtros no governo anterior e estampou foto com Ricardo, João e a deputada estadual Cida Ramos, tratando o trio como “velha política”.

Cabo Gilberto acaba de pedir a cabeça do comandante da Polícia Militar, Euller Chaves, a quem acusa de falta de imparcialidade para investigar suspeitas de arapongagem contra o atual secretário de Segurança, Jean Nunes.

Não precisa nem perguntá-los para entender a nova marcha. Como setores majoritários da oposição, esperaram e ainda não viram o desenlace final dos governos de ontem e de hoje. Ou pelo menos, não viram como gostariam.

Enquanto esperam, voltaram a espalhar chumbo. E, se depender do cabo e do delegado, João, até então poupado, também entrou na linha de tiro.

Vídeo

Heron Cid no Hora H: “Só teme lei contra fake news quem produz”


Quem tem, tem medo!

Dona Candinha sobre o atual momento político no Planalto:

"Tá todo mundo com o QUeiroz na mão!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com o noticiário político atual, quem no Brasil precisa de série para maratonar?
NÚMERO

100%

Índice de ocupação de leitos de UTI para covid-19 em Natal, Rio Grande do Norte, há pelo menos um mês.