Bastidores

Na PB, Damares defende “revolução cultural” para combater feminicídios

28 de outubro de 2019 às 15h40

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, admitiu, em contato com o Portal MaisPB, que há falhas na rede de proteção a mulheres em todo o país. “O Brasil é o quinto país do mundo que mais mata mulher, mas temos a terceira melhor lei do mundo de proteção da mulher. Essa equação não fecha, tem alguma coisa acontecendo. Estamos analisando aonde a rede de proteção está errando”, alertou, em declaração na última sexta-feira.

De acordo com a ministra, apenas 19% dos municípios possuem algum órgão de proteção a mulher e, inclusive na Paraíba, muitas cidades não possuem uma instituição em defesa das mulheres.

“Confesso para vocês, eu herdei um grande problema, mas existe uma motivação muito grande da nossa equipe técnica de fazer esse enfrentamento, agora, a violência contra a mulher não é só o poder público que vai resolver, vai ter que ser uma junção de forças, inclusive com a sociedade civil”, admitiu ao Portal MaisPB.

Ainda conforme Damares, é preciso uma ‘revolução cultural’, iniciada nas escolas, onde crianças e adolescentes já aprendam sobre proteção e defesa da mulher.

Vídeo

Não ouviu? Ouça e reveja programa Hora H desta sexta (17.01.2020)


Novo calendário

Se um dia for parlamentar, Dona Candinha já tem em mente um projeto de lei para instituir um dia de uma categoria em evidência na Paraíba:

"Dia do delator!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual é o deadline de Romero Rodrigues para a escolha do seu candidato em Campina Grande?
NÚMERO

R$ 150 bilhões

Aporte que o Governo Federal pretende arrecadar com privatizações de estatais e subsidiárias, em 2020.