Bastidores

O “nego” ao Estado e o que não tem justificativa e nem nunca terá

26 de outubro de 2019 às 13h03

Com documentos provando a solicitação formal do Governo do Estado, qual é a justificativa do deputado federal Gervásio Maia (PSB) para não destinar um centavo dos R$ 16 milhões que tem direito para as obras e planos do “projeto” que diz seguir, servir e acreditar?

Se é que tem alguma possível, o experiente Gervásio sabe que, em casos como esse, não adianta e nem serve, ao menos para o público e cidadão, a alegação frágil de que não foi contactado pessoalmente, por má vontade do governador.

Brilhante e contundente deputado de oposição a Cássio Cunha Lima e depois a Ricardo Coutinho, posteriormente convertido, Maia sabe, mais do que ninguém, que argumento nenhum consegue ser maior do que o interesse público.

Tudo abaixo disso é menor. Até Julian Lemos, do extremo PSL de Bolsonaro, soube compreender isso.

Como, então, um parlamentar que se esforça tanto para conquistar espaço na esquerda e empinar discurso republicano em Brasília pode fazer o contrário na sua terra?

Como em “À Flor da Terra”, de Chico Buarque, tem coisa que não tem justificativa e nem nunca terá.

Vídeo

Não ouviu? Ouça e reveja programa Hora H desta sexta (17.01.2020)


Novo calendário

Se um dia for parlamentar, Dona Candinha já tem em mente um projeto de lei para instituir um dia de uma categoria em evidência na Paraíba:

"Dia do delator!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
O pedido de CPI das OS, anunciado pela oposição, vai incluir deputados citados em delações?
NÚMERO

R$ 3 milhões

Investimento do Grupo Drumattos, em nova unidade do Camarada Camarão, a ser inaugurada em João Pessoa, com previsão de 80 empregos.