Bastidores

Operação Calvário, quinta fase, e “Viva o Trabalho” do Gaeco

9 de outubro de 2019 às 10h33
Polícia Rodoviária Federal na frente do edifício que em que reside Ivan Burity, secretário executivo de Turismo

Uma pausa para quem duvidava do avanço das investigações da Operação Calvário, aquela que apura suspeitas de desvios de recursos da gestão pactuada da Cruz Vermelha, apresentada como organização social à Paraíba, para administração de hospitais no Estado. Hoje, policiais e promotores acordaram mais cedo o secretário de Turismo da Paraíba, Ivan Burity, o ex-secretário de Promoção da Paz de Alagoas, Jardel Aderico da Silva, e o diretor do Hospital Regional de Mamanguape, Eduardo Simões Coutinho. Todos foram presos preventivamente. A Justiça também determinou 25 mandados de busca e apreensão em cinco estados. Aléssio Trindade, secretário de Educação do Estado, e o vice-prefeito de Princesa Isabel, Aledson Moura (PSB), foram dois dos alvos. Antes de Ivan, Livânia Farias, então secretária de Administração, foi presa. Ela ganhou liberdade após acordo de colaboração premiada. E “Viva o Trabalho” do Gaeco.

Vídeo

Entrevista: Adalberto diz quais são os trunfos de Luciano para eleger sucessor


Queimação geral

Dona Candinha comenta o derrame de petróleo na costa brasileira:

"Até no mar, a coisa tá preta!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Sem pedido de emendas federais para a obra, a Prefeitura de Campina Grande desistiu do VLT?
NÚMERO

90

Número de páginas do documento do Gaeco-Paraíba que fundamentou pedido de buscas e apreensão e de prisões preventivas na quinta fase da Operação Calvário.