Bastidores

Decisão pela intervenção preserva hospitais e imagem do governo

9 de outubro de 2019 às 19h22
Hospital Metropolitano de Santa Rita

O Governo do Estado não se fez de morto diante dos efeitos da quinta fase da Operação Calvário. Numa nota sucinta e direta, o Estado anunciou a intervenção nos hospitais Metropolitano de Santa Rita e Regional de Mamanguape, ambos citados por suspeitas de desvios a partir do IPCEP (Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional), organização social que gerencia as unidades. Responsáveis pela administração da OS foram afastados. Para esses casos, a intervenção é o remédio certo. É a injeção para preservar a imagem do governo e o paciente Saúde. E a saúde dos pacientes.

Confira a nota:

O Governo do Estado, diante do ocorrido nesta quarta-feira (9) e visando preservar as instituições e manter os serviços hospitalares com o devido atendimento à população, determinou a intervenção nos hospitais Metropolitano de Santa Rita e o Regional de Mamanguape, ao mesmo tempo que decidiu pelo afastamento imediato de todas as pessoas responsáveis pela administração da Organização Social citada nesta nova etapa da Operação Calvário.

Vídeo

Entrevista: Adalberto diz quais são os trunfos de Luciano para eleger sucessor


Queimação geral

Dona Candinha comenta o derrame de petróleo na costa brasileira:

"Até no mar, a coisa tá preta!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Sem pedido de emendas federais para a obra, a Prefeitura de Campina Grande desistiu do VLT?
NÚMERO

90

Número de páginas do documento do Gaeco-Paraíba que fundamentou pedido de buscas e apreensão e de prisões preventivas na quinta fase da Operação Calvário.