Bastidores

João Pessoa contraria tendência e fica entre capitais que demitiram mais do que empregaram

8 de outubro de 2019 às 11h15

João Pessoa está entre as doze capitais brasileiras que ficaram no vermelho no confronto entre números de carteiras de trabalho assinadas e demissões, entre janeiro e agosto de 2019.

Levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), compilado pela consultoria Tendências e divulgado hoje pelo O Globo, traz a capital paraibana como a sexta colocada na lista do saldo negativo.

Foram 1.425 demissões a mais do que as admissões. A cidade só não teve desempenho pior do que Fortaleza (4.139), Teresina (3.884), Porto Alegre (2.385), Belém (2.010) e Maceió (1.725).

O dado vem quando mais da metade das capitais brasileiras já vivencia a retomada do emprego formal. O estudo da consultoria Tendências mostra que, nos oito primeiros meses do ano, o saldo de vagas com carteira assinadaf oi positivo em 14 delas, considerando os 26 estados e o Distrito Federal.

João Pessoa segue uma tendência negativa presente no Nordeste. É na região que a recuperação do mercado de trabalho tem seu maior entrave.

Aqui, oito das nove capitais registraram mais fechamentos do que criação de vagas no período — e em dois estados que enfrentam grave crise fiscal: Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

O economista e professor da UFRJ João Saboia tem uma opinião sobre esse quadro verificado no Nordeste e no Norte: o nível de desenvolvimento dos mercados de trabalho locais:

“Nestas duas regiões, o mercado de trabalho tem muita informalidade. Os empregos formais, em sua maioria, estão ligados à administração pública. Ao passo que o Sudeste tem mercados mais desenvolvidos, uma maior participação de empresas privadas. Isso explica a geração de empregos formais”.

Confira a reportagem completa aqui.

Vídeo

Entrevista: Adalberto diz quais são os trunfos de Luciano para eleger sucessor


Queimação geral

Dona Candinha comenta o derrame de petróleo na costa brasileira:

"Até no mar, a coisa tá preta!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Sem pedido de emendas federais para a obra, a Prefeitura de Campina Grande desistiu do VLT?
NÚMERO

90

Número de páginas do documento do Gaeco-Paraíba que fundamentou pedido de buscas e apreensão e de prisões preventivas na quinta fase da Operação Calvário.