Opinião

Oposição à espera de um Big Bang

19 de agosto de 2019 às 11h10 Por Heron Cid

O PSB está rachado em bandas. Nenhum esforço retórico é capaz de amaciar essa realidade e o risco de “implosão” no partido – como alertou o presidente da Assembleia, Adriano Galdino – é real.

Mas para pelo menos uma coisa positiva, com todas as aspas do mundo, a crise interna no Jardim Girassol está servindo.

Enquanto o PSB se ‘dissolve’, literalmente, a oposição vem mantendo seu compasso de expectativa. Assiste de camarote a um conflito interno alheio, aguardando ansiosa o desfecho.

Não está de todo errada.

A inércia tem justificativa. Qualquer fissura mais séria dentro do partido que governa o Estado há quase nove anos muda todo o cenário político paraibano.

Já há deputados de oposição que não fazem mais segredo e sussurram nos bastidores; se houver rompimento mesmo, adere ao governo de João Azevêdo.

Somente isso explica a paralisia.

Some-se isso a indisfarçável fragilidade pós-2018, quando os agrupamentos oposicionistas saíram dispersos e avariados do traumático processo eleitoral.

Esperam que a fermentação do PSB, que dá sinais de não comportar mais a força de dois líderes no mesmo barco, exploda feito o Big Bang.

E haja luz!

Vídeo

Repórter MaisTV: Paraíba só tem 30 km de ferrovia ativa


Ressignificando

Se a CPMF voltasse, Dona Candinha já estava pronta para traduzir a nova sigla:

"Cota Permanente para Mamar e Ferrar (CPMF)"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
João Azevêdo diz que “há outros motivos por trás” da intervenção no PSB: quais são?
NÚMERO

57%

Percentual de ampliação dos recursos destinados para o Programa de Qualificação das Ações da Vigilância em Saúde – PQA-VS, do Ministério da Saúde, para a Secretaria de Estado da Saúde (SES), valor que saltou de R$ 700 mil para mais de R$ 1,1 milhão.