Opinião

Desabrochar do “interior do Interior” passa por ‘inconformismo’

12 de agosto de 2019 às 11h07 Por Heron Cid
Vista aérea do Rio Piranhas (Açude São Gonçalo) no território de Marizópolis, com a cidade ao fundo e a BR-230 ao lado direito

O desenvolvimento do “interior do Interior”, expressão que serve para traduzir a necessidade de um novo olhar para pequenos municípios do entorno das cidades polos, começa com uma palavra: “inconformismo”.

O termo foi invocado pelo renomado economista paraibano Rafael Bernardino, em mensagem ao Blog, a propósito da Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal e Assembleia Legislativa, em Marizópolis, minha terra natal e um dos exemplares desse quadro geo-sócio-econômico.

“É preciso multiplicar esse seu inconformismo (que também é meu) para que seja possível encontrar as alternativas de desenvolvimento para a sua Marizópolis, para minha Cabaceiras, e também para os demais municípios desse mesmo porte de nossa Paraíba”, postulou Bernardino.

Ele encaminhou um organograma (documento abaixo) universal utilizado na formação de arranjos produtivos locais. Um caminho a ser perseguido por entidades, instituições, autoridades, universidades, poderes, parlamento e população.

Bernardino, todavia, faz um alerta a quem interessar possa: “O processo de desenvolvimento precisa ser iniciado pela comunidade local. Dificilmente virá de fora”.

A tarefa começa por dentro. E, por incrível que pareça, é a mais desafiadora.

Vídeo

MaisTV: especialista defende barreiras migratórias na economia da PB


Na boquinha

Dona Candinha sobre a derrapada do deputado Lindolfo:

"Pires não combina com garrafa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual é a urgência que justifica a destituição do diretório estadual do PSB, eleito até 2020?
NÚMERO

28%

Percentual de universitários brasileiros que gastam mais da metade do orçamento com estudos, conforme pesquisa da Companhia de Estágios.