Bastidores

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo

18 de julho de 2019 às 11h05

Cinco meses de gestão foram suficientes para o desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, chegar a uma conclusão: ser juiz é menos difícil do que gestor. Ele confessa que precisou enfrentar “cara feia” ao decidir por um enxugamento em gastos de pessoal que darão uma folga de R$ 7 milhões por ano ao TJ. A economia tem destino: investimentos em tecnologia. A novo duodécimo reajustado, resultado de diálogo com o Executivo, também permitirá que o Tribunal respire. Esses e outros assuntos estão nesta entrevista concedida pelo magistrado ao autor do Blog, na MaisTV, canal de vídeo do Portal MaisPB.

Vídeo

“A diferença entre protesto e baderna”; comentário de Heron Cid no Hora H


De plástico

Dona Candinha não gostou do pudim da padaria próxima:

"É mais artificial do que Dória!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Legislativo e Judiciário produzem mais no modo remoto ou é impressão?
NÚMERO

468.338

Casos confirmados da covid-19 no Brasil, até o boletim da sexta-feira (29).