Opinião

Um presidente (im) previsível

13 de julho de 2019 às 12h15 Por Heron Cid

Ainda tem quem se surpreenda com as piruetas do presidente Jair Bolsonaro. Alguns, é verdade, por excesso de generosidade e torcida, outros por má fé usam as ações exóticas para a desconstrução do “mito”, como certos devotos costumar tratar o chefe da Nação.

Tenho até a ligeira impressão que Bolsonaro, calculadamente, se diverte com as reações, as críticas e os inusitados apoios ao que facilmente pode se identificar como aventuras ou posturas e medidas pouco usuais.

A da vez: o convite para o filho deputado, Eduardo, virar embaixador brasileiro nos Estados Unidos, o maior posto da diplomacia nacional. Uma providência, óbvio, pra lá de inusitada para os nossos padrões.

Mas quem disse que Bolsonaro quer ser um presidente dentro da caixa padronizada? Tudo o que ele faz, e o faz deliberadamente, é na direção de quebrar regras. A sua eleição está nesse padrão (ops!), ou melhor, fora do padrão.

O presidente parece empenhado em chocar. Sabe, com todo o nível de consciência, que a nomeação do filho, ou a simples menção, viraria polêmica e motivo de debates. De inocente, amador, ele não tem nada.

A cada lance, por mais esdrúxulo que seja, está pautando a cena. Das obscenidades de carnaval ao contingenciamento na Educação, do combate a ideologia de gênero à comemoração do Golpe Militar de 1964, ao seu modo, Bolsonaro dá o tom do que se viraliza nas redes e nas rodas políticas. Para o bem ou para o mal.

É ingenuidade esperar dele qualquer movimento dentro da lógica. Bolsonaro quer estabelecer a sua própria lógica. De preferência, rompendo com o status quo e dando lugar ao ilógico como parâmetro de ação.

Para irritar um lado e conquistar outro, ele faz da imprevisibilidade a sua arma mais previsível. É melhor já ir se acostumando. Será assim até o fim. Daqui a quatro ou oito anos.

Vídeo

Não ouviu? Ouça e reveja programa Hora H desta sexta (17.01.2020)


Novo calendário

Se um dia for parlamentar, Dona Candinha já tem em mente um projeto de lei para instituir um dia de uma categoria em evidência na Paraíba:

"Dia do delator!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
O pedido de CPI das OS, anunciado pela oposição, vai incluir deputados citados em delações?
NÚMERO

R$ 3 milhões

Investimento do Grupo Drumattos, em nova unidade do Camarada Camarão, a ser inaugurada em João Pessoa, com previsão de 80 empregos.