Brasas

As voltas que o mundo dá

12 de julho de 2019 às 10h21

Na tarde noite de 30 de setembro de 2007, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba cassava, por cinco votos a um, o mandato do então governador Cássio Cunha Lima (PSDB), acusado de distribuição eleitoreira de cheques da FAC na campanha. Entre os patronos de acusação, lá estava o jovem Marcelo Weick, hoje (doze anos depois) advogado que sustenta, com sucesso, o afastamento da tese do uso dos cheques do Empreender na reeleição de Ricardo Coutinho contra Cássio. Filmes do destino.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.