Brasas

As voltas que o mundo dá

12 de julho de 2019 às 10h21

Na tarde noite de 30 de setembro de 2007, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba cassava, por cinco votos a um, o mandato do então governador Cássio Cunha Lima (PSDB), acusado de distribuição eleitoreira de cheques da FAC na campanha. Entre os patronos de acusação, lá estava o jovem Marcelo Weick, hoje (doze anos depois) advogado que sustenta, com sucesso, o afastamento da tese do uso dos cheques do Empreender na reeleição de Ricardo Coutinho contra Cássio. Filmes do destino.

Vídeo

Vídeo: capital e social, é possível unir? Diego Tavares responde


Novo descobrimento

Dona Candinha fez uma nova proclamação da República:

"O nosso 'príncipe' é princesa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
E se Cássio Cunha Lima se animar para disputar a Prefeitura de Campina Grande?
NÚMERO

 7,4%

Previsão de acréscimo ao orçamento anual do Estado de 2020 em relação ao ano passado, conforme o Plano Plurianual (PPA) 2020-2023.