Opinião

VLT de Campina: pai, filho e espírito santo

11 de julho de 2019 às 10h41 Por Heron Cid
Duas audiências para o mesmo propósito: a separação no que deveria unir

O Veículo Leve sobre Trilhos de Campina Grande entrou no programa de governo do então candidato João Azevêdo (PSB), em 2018.

O prefeito da cidade, Romero Rodrigues (PSDB), que toca o Complexo Aluísio Campos, por onde a linha de trem passa, levou essa semana o assunto ao Governo Federal e ao presidente Jair Bolsonaro.

Azevêdo, também, se reuniu com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e da reunião saiu com o termo de permissão para que o Estado inicie a obra.

Da agenda com Bolsonaro, Romero saiu com a garantia de que o Governo Federal tratará dessa ação com a Prefeitura de Campina.

O senador Veneziano Vital (PSB), filho de Campina, por sua vez comemorou que um “projeto” “concebido” ainda na sua gestão vai sair do papel depois de abraçado pelo governador e criticou o que chamou de “oportunismo” do adversário.

Cada um, ao seu modo, puxando a sardinha para sua brasa. Inevitável para o imaginário popular aquela velha disputa de paternidade.

Que o VLT saia da prancheta e entre no trilho. E quando virar realidade que todos saibam quem é o pai: o contribuinte, o cidadão. É ele quem paga autoridades para servir ao público com gestão e iniciativas.

Nessa história, João, Romero e Veneziano estão no papel de buscar, de prospectar, de lutar. Ou pelo menos de não atrapalhar.

Mas será bom estar vivo para testemunhar o dia em que uma iniciativa de interesse coletivo não precise de disputa, mas seja ponto pacífico de unidade.

Ainda mais feliz será o paraibano quando for possível que três autoridades, como essas, cheguem juntas na mesma audiência para comungar e reivindicar um propósito comum.

Sem necessidade de uma aliança político-eleitoral, antes, e nem da reivindicação de DNA, depois.

Enquanto há peleja “pai e filho” por aqui, resta à Paraíba rezar ao Espírito Santo.

João se reúne com ministro da Infraestrutura

Romero Rodrigues pede por obra ao presidente Jair Bolsonaro

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.