Brasas

Retrovisor

3 de julho de 2019 às 17h11

Em 14 de dezembro do ano passado, este Blog publicou um artigo com o título “OS, a cruz que se carrega”. Em cinco de fevereiro, saiu outro intitulado de “A hora de sair da cruz”. Ontem, seis meses depois, o governador João Azevêdo (PSB) rompeu, definitivamente, essa relação. Para isso, nem precisou ler este espaço. Bastou ter se aconselhado com o óbvio, que alguns mais ponderados e vacinados do astigmatismo da militância ideológica chamam de “bom senso”.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.