Opinião

Reforma: caiu a ficha dos governadores do Nordeste

2 de julho de 2019 às 18h53 Por Heron Cid
Governadores em reunião com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)

Os governadores do Nordeste reiteradamente se posicionaram contra a reforma da Previdência. Todos, sem exceção, ressoam a posição das urnas de oposição ao governo Bolsonaro.

Sem consenso, o relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), tirou estados e municípios do texto.

Agora, os governadores estão em Brasília há dois dias brigando para incluir seus respectivos estados na reforma da qual discordam, jogam pragas e sugerem alterações. Uma notória e irônica contradição.

Buscam em reuniões com Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre um consenso com os líderes partidários, que até agora não avançou.

Propositada ou coincidentemente, o Planalto inverteu o jogo.

Governadores discordam de pontos da reforma, mas não querem nos seus estados assumir o encargo de fazer as mudanças na aposentadoria para ajustar os déficits de suas previdências estaduais.

Em Brasília, fica mais fácil estufar o peito e botar gosto ruim.

O relator da matéria deu a eles o que pediram. Excetuou estados e municípios e deixou todos à cavalheira.

Agora, emparedados, querem sair das cordas, conquistar alterações que garantam sobrevida aos regimes próprios e ainda garantir receitas extras. Mas nada de colocar as próprias digitais. Melhor tudo na conta do governo federal.

Os governadores, sobretudo os oposicionistas do Nordeste, querem o bônus da reforma sem botar o pescoço nos ônus.

Caiu a ficha. E o teatro também.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.