Opinião

Moro não está só

1 de julho de 2019 às 09h32 Por Heron Cid

O novo capítulo do embate em torno da Lava Jato foi às ruas. Oitenta cidades registraram manifestações a favor da operação e do ex-juiz, o hoje ministro Sérgio Moro.

É a reação à ofensiva de libertação do ex-presidente Lula e da anulação de sentenças do então magistrado que mandaram para a cadeia protagonistas da dilapidação da Petrobrás.

Desde que mensagens atribuídas a Moro e o procurador Deltan Dallagnol, que sugerem extrapolação dos limites constitucionais e das prerrogativas de ambos, a cabeça de ambos está na bandeja.

A defesa de condenados, entre eles o líder nacional do PT, aposta que a porta da cadeia está entreaberta e basta uma forcinha para o STF escancarar.

De preferência, com a mãozinha de Gilmar Mendes, que se converteu de algoz a queridinho do PT e de condenados.

Um cenário que ameaça o que para muitos traduziu o primeiro grande capítulo contra o fim da impunidade de crimes envolvendo figurões da política e do mundo dos negócios no Brasil.

Embalados por este receio, milhares saíram de casa nesse domingo. Para Moro, que vive seu momento mais delicado, um apoio moral.

Das ruas, um recado: por mais questionado que esteja sendo, o ministro não está sozinho nessa.

Não por acaso o governo de Bolsonaro não descola dele.

Vídeo

MaisTV: especialista defende barreiras migratórias na economia da PB


Preço

Dona Candinha triste com o caos estabelecido na instabilidade administrativa de Patos, uma das mais importantes cidades da Paraíba:

"O povo está pagando o Patos!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual é a urgência que justifica a destituição do diretório estadual do PSB, eleito até 2020?
NÚMERO

28%

Percentual de universitários brasileiros que gastam mais da metade do orçamento com estudos, conforme pesquisa da Companhia de Estágios.