Brasas

Mocinho

13 de junho de 2019 às 21h33

Luís Fernando Veríssimo, no arremate de sua coluna em O Globo:

“Quem foi que disse “triste é o país que precisa de heróis?”. Bertolt Brecht, se não me falha o Google. “Heróis”, no nosso caso, seriam pessoas medianamente honestas que elegessem pessoas medianamente capazes de dirigir um país medianamente possível; é pedir muito? Moro representou não uma esperança grandiloquente, mas essa possibilidade meio desconsolada. O problema com o Moro é que o país precisava de um mocinho de cinema, e ele tem cara de bom moço.”

Vídeo

Adoção na Paraíba: relatos de gestos de amor e esperança, que une histórias


Boletim

Dona Candinha sobre a nova cirurgia e internação do presidente:

"Bolsonaro no Hospital. O Brasil passa bem!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
João Pessoa terá uma eleição pulverizada com vários candidatos ou candidaturas vão se fundir na reta final de 2020?
NÚMERO

80

Número de advogados assassinados nos últimos três anos no Brasil, dados que levam a Apam (Associação Paraibana de Advocacia Municipalista) defender porte de arma para categoria.