Brasas

Mocinho

13 de junho de 2019 às 21h33

Luís Fernando Veríssimo, no arremate de sua coluna em O Globo:

“Quem foi que disse “triste é o país que precisa de heróis?”. Bertolt Brecht, se não me falha o Google. “Heróis”, no nosso caso, seriam pessoas medianamente honestas que elegessem pessoas medianamente capazes de dirigir um país medianamente possível; é pedir muito? Moro representou não uma esperança grandiloquente, mas essa possibilidade meio desconsolada. O problema com o Moro é que o país precisava de um mocinho de cinema, e ele tem cara de bom moço.”

Vídeo

Entrevista: Anísio, da “roça” da suplência à “produção” da Assembleia


APP

Dona Candinha já tem novo nome sobre o aplicativo de mensagens russo:

"Telegrampo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com deputado federal, senadora e vice-prefeito, o PP vai se contentar apenas com a vice na chapa apoiada por Romero em Campina Grande?
NÚMERO

361%

Crescimento da produção parlamentar da Assembleia Legislativa da Paraíba, em comparação ao mesmo período do ano passado.