Bastidores

Presidente do TJPB diz que vazamento não abala bandeira anticorrupção

10 de junho de 2019 às 15h57

“A situação [da Lava Jato] é específica e para cada caso que se analisa deve ser visto individualmente. Não se pode generalizar uma situação que teria tido em um processo com os outros. Essa nova visão do judiciário mais proativo de combate a corrupção é sempre salutar”. É o que pensa o presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), Márcio Murilo (foto), sobre conteúdo a reportagem do site “The Intercept Brasil” que revelou conversas do ex-juiz federal e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, orientando as investigações da operação Lava Jato em Curitiba por meio de mensagens trocadas pelo aplicativo Telegram com o procurador da República, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa. Para o presidente do TJPB, as mensagens “não abalam a credibilidade da bandeira anticorrupção no país, hasteada especialmente a partir da Lava Jato”.

Vídeo

Entrevista: Anísio, da “roça” da suplência à “produção” da Assembleia


In Gilmar we trust

Dona Candinha acha que os corruptos estão parafraseando o diálogo de Moro e Dallagnol sobre Fux e conversando entre si:

"Em Gilmar Mendes nós confiamos!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Se a moda pega e hackers começarem a vazar conversas entre magistrados e promotores nos estados?
NÚMERO

R$ 5.443.865,48

Valor empenhado pela Prefeitura de Campina Grande para pagamento de combustíveis, no ano de 2018, segundo relatório de auditoria do TCE, que alertou o município por maior eficiência na compra.