Opinião

Crise no MP sai do gabinete e vai à praça

8 de maio de 2019 às 16h29 Por Heron Cid

O Blog perguntou hoje pela manhã: Francisco Sagres calará ou reagirá diante da nota pública dos promotores do Grupo Especial de Atuação contra o Crime Organizado? O Gaeco contestou parecer do procurador favorável a soltura do empresário Roberto Santiago pelo procurador durante julgamento de habeas corpus na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Há pouco, Sagres falou com o Blog. O procurador disse que não tem intenção de se manifestar, em forma de réplica, sobre a nota do Gaeco, na qual foi desautorizado a falar em nome do MP. Francisco Sagres informou que só tratará desse tema junto “aos órgão superiores do Ministério Público, para onde pretende levar o caso.

Na sessão da Câmara Criminal, Sagres emitiu parecer oral em favor da liberdade do empresário. Para ele, os motivos ensejadores da prisão preventiva foram superados, sucumbindo, portanto, razões para manutenção da preventiva. Imediatamente, promotores do Gaeco publicaram nota na imprensa reduzindo a manifestação à mera “opinião pessoal”.

O enfrentamento abriu uma crise no Ministério Público da Paraíba. De interna passou a ser pública.

Mesmo assim, até aqui, o procurador-geral de Justiça da Paraíba, Francisco Seráphico, não se pronunciou sobre a colisão dos seus subordinados hierárquicos.

A fratura está exposta.

Vídeo

MaisTV: especialista defende barreiras migratórias na economia da PB


Tocando fogo

Dona Candinha está estupefata com a repercussão internacional do desmatamento da Amazônia:

"O governo tá se queimando!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Veneziano Vital resistirá aos apelos do suplente Ney Suassuna para que o senador entre na disputa pela Prefeitura de Campina Grande?
NÚMERO

31,6 bilhões

Litros de etanoL na produção total verificada no 2º levantamento da Safra de cana de açúcar feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).