Bastidores

O ministro e as senhoras de 64 (por Bernardo Mello Franco)

2 de maio de 2019 às 12h00
O novo ministro Abraham Weintraub | O GLOBO

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, quer banir os livros de Paulo Freire e reprimir a “balbúrdia” nas universidades. O discurso não é exatamente novo. Já estava na boca das senhoras católicas que bradavam contra o comunismo em 1964.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o ministro olavete descreveu as universidades como locais de “bagunça” e “arruaça”. Ele também protestou contra a suposta presença de “gente pelada”, como se os campi fossem praias de nudismo.

A imaginação de Weintraub parece ser fértil. A das ativistas católicas também era. A exemplo do ministro, elas acreditavam que os comunistas estavam em toda parte. Atrás da banca de jornal, no ponto de ônibus, debaixo da cama ou dentro do guarda-roupa, como ironizava o cronista Stanislaw Ponte Preta.

Em Belo Horizonte, as senhoras se uniram na Liga da Mulher Democrata (Limde). De rosário em punho, promoveram passeatas a favor do golpe militar e elegeram a Universidade Federal de Minas Gerais como alvo número um. Suas peripécias estão no livro “Campus UFMG”, que a historiadora Heloisa Starling lança no dia 11 pela editora Conceito.

Em abril de 1964, a Limde intimou o Ministério da Educação a intervir na UFMG para garantir “o afastamento definitivo de professores, livros e funcionários comunistas do convívio com os estudantes”.

Pouco depois, as ativistas reivindicaram a imediata proibição, em todo o país, do método Paulo Freire. Para elas, a técnica do educador para combater o analfabetismo era perigosa e subversiva.

Em 1965, a Limde organizou um abaixo-assinado pela “extinção da carreira de sociólogo”. O manifesto afirmava que era preciso evitar a formação de “agitadores comunistas”. Os sociólogos só conseguiriam habilitação formal em 1980, no fim da ditadura.

As senhoras mineiras eram ousadas. Um dia, indignadas com a realização de um encontro sindical em BH, reuniram a imprensa e prometeram deitar na pista do Aeroporto da Pampulha para impedir a aterrissagem de aviões.

Fica a dica para o ministro Weintraub.

O Globo

Vídeo

No Palácio: ‘Ouvidoria’ escuta demandas de deputados governistas


Loucura

Dona Candinha mandou telegrama para a direção do PSL sugerindo um lugar para o partido e o presidente sentar e se entender:

"Um manicômio!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Até quando o maior ‘esporte’ da Paraíba será ‘política’?
NÚMERO

Posição da Paraíba no Nordeste no Ranking da Competitividade dos Estados, em 2019, levantamento realizado pelo Centro de Liderança Pública.