Brasas

A saída de Cláudia

30 de abril de 2019 às 17h48
Cláudia Veras: na mudança de cargo, ex-secretária fala em energia redobrada para nova missão

Como ainda oficialmente o governo não se pronunciou sobre as mudanças no primeiro escalão, incluindo remanejamento, não se sabe, concretamente, a motivação da transferência de Cláudia Veras do comando da Saúde para a executiva de Articulação Municipal. Se o que removeu Cláudia tem relação direta com o que exonerou Gilberto Carneiro e Waldson Souza? Na falta de esclarecimento, o que fica, de concreto, é a carta de despedida Cláudia endereçada ao pessoal da Saúde:

‘Às companheiras e companheiros de gestão da SES:

Encerrarei esta manhã um ciclo de 2 anos e 4 meses da mais desafiadora tarefa na minha trajetória profissional. Minha formação e qualificação profissionais na área da saúde pública, e sobretudo uma defensora do SUS, não fizeram esta missão menos árdua.

O meu sentimento hoje é essencialmente de gratidão: por ter tido esta oportunidade de ter sido indicada para assumir esta função, pela incrível possibilidade de contribuir com o trabalho cotidiano que é a construção do SUS e, sobretudo, aprender com vocês todos os dias. Nessa função tive o privilegio de contribuir com o cumprimento de metas ousadas e estruturantes da saúde pública na Paraíba. Algumas delas mais visíveis: como a implantação do Hospital do Bem – o primeiro serviço público de assistência oncológica no sertão paraibano; o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires – o primeiro hospital público de referência em neurologia e cardiologia no estado, o Centro Especializado de Referência em Reabilitação – o CER de Sousa, a ampliação de leitos (clínicos e de UTI), a organização dos serviços para a conformação das redes de atenção à saúde, dentre muitas outras ações.

Para os próximos anos, estão definidas as metas e ações que nortearão o trabalho, e será necessário energia redobrada para um governo socialista, em um momento que a conjuntura política sofre profundos ataques que comprometem a democracia e o direito à saúde universal e equânime.

Estarei por aqui, e a convite do Governador, contribuirei com outras missões.
Sigamos adiante. Beijo grande.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.