Bastidores

Caso Geo: “falhas” apontadas por procurador geram novo debate

26 de abril de 2019 às 16h28
Renan Paes Félix, procurador e irmão de um dos condenados

O desabafo do procurador Renan Paes Félix, em uma rede social, contra a condenação de Rayanderson Félix, seu irmão de criação, no Caso Geo, e repercutido aqui no Blog, gera desdobramentos no Ministério Público. Os dados de supostos equívocos da apuração dos fatos, como a informação de que Ray, como é mais conhecido, sequer estudava no período da tarde, quando aconteciam os abusos, mereceram anúncio de verificação da Corregedoria Geral do MP, além de providências sobre a quebra de sigilo, entre outras falhas. Uma sindicância será aberta. Por outro lado, associação de promotores e juízes reagiram. Em nota, refutam erro no processo, proteção de um dos acusados, e prestaram solidariedade ao juiz Luiz Eduardo Souto Cantalice e às promotoras Ivete Leônia Soares de Oliveira Arruda e Doris Ayalla Anacleto Duarte “indevidamente atacados por suas atuações funcionais”.  Se antes o debate era somente sobre justiça, agora há no ar uma dúvida sobre injustiça. O caso parece longe do fim.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.