Opinião

O sonho de Manoel

13 de abril de 2019 às 12h02 Por Heron Cid
Manoel Junior sonha acordado em pelo menos disputar a Prefeitura; plano foi frustrado três vezes

A “força”, dessa vez, veio de Paulinho. Paulo Pereira da Silva, presidente nacional do Solidariedade. De passagem por João Pessoa, o dirigente sindical e partidário estimulou Manoel Junior, vice-prefeito de João Pessoa, ao acalentado e já gasto projeto de disputar a Prefeitura de João Pessoa.

Auto-estima e estímulo nunca faltaram a Manoel. Falta mesmo só de voto o suficiente para catapultá-lo e segurá-lo no páreo.

Foi assim em 2004. Naquele distante ano, o então deputado era o nome do PMDB. Na hora H, o partido preferiu retirar a candidatura em nome do nome mais viável, o também deputado ascendente Ricardo Coutinho.

Veio 2012. Junior mais uma voz foi às ruas e botou campanha na praça. Sem estatísticas de intenções de votos alvissareiras, fora engolido pela fome de poder do ex-governador José Maranhão, que precisava de uma eleição para alimentar seu hobbie.

Chegou a estação de 2016. A cena se reproduz no mesmo script. Manoel lança-se ao pleito. O resultado todos lembram. Tal qual em 2004 com Ricardo, virou o vice de Luciano Cartaxo, a quem fazia dura oposição…

Agora, o ex-deputado federal entra, novamente, no aquecimento. Sobejamente obstinado, dessa vez outro pré-requisito não lhe falta: um partido para chamar de seu. Os votos Manoel já começou ir à caça.

Vídeo

Entrevista: TJ “volta a respirar” com cortes na folha e ‘novo’ duodécimo


Na chapa

Dona Candinha sobre as últimas trapalhadas verbais do presidente:

"O filho frita hamburguer e o pai a si mesmo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Todos no PSB ficaram felizes com a aprovação do governo João Azevêdo?
NÚMERO

62,7%

Percentual dos entrevistados da pesquisa Opinião/Arapuan que julgam o governador João Azevêdo como “trabalhador”.