Bastidores

Na PB, unidades básicas não têm o básico para atender gestantes

13 de abril de 2019 às 12h56

O projeto ‘Formando Vidas’, do Ministério Público da Paraíba (MPPB) tem fiscalizado Unidades Básicas de Saúde dos municípios paraibanos. No primeiro ciclo finalizado, a equipe encontrou falta de medicamentos para gestantes, além de locais sem acessibilidade para grávidas.

Criador do projeto, o promotor Raniery Dantas conversou com o Portal MaisPB e explicou que muitas mulheres também não fazem o acompanhamento regular e não realizam a quantidade de consultas necessárias até o parto. Segundo ele, é ainda uma dificuldade descobrir qual será a maternidade em que vai dar à luz, e acabam ‘peregrinando’ até mesmo no dia do parto.

Exames pré-natais, necessários para reduzir os óbitos fetais registrados, também não têm sido oferecidos nas unidades. Segundo ele, os exames detectam se a gravidez é de risco ou quais cuidados específicos precisam ser tomados.

Em 2017, foram registrados no Estado 625 óbitos fetais, 36 mortes maternas e 429 mortes de nascidos com menos de sete dias. Já entre janeiro e junho de 2018, 762 bebês nasceram sem que suas mães fizessem nenhuma consulta de pré-natal; 1.702 nasceram com uma a três consultas, enquanto 8.024 com quatro a seis consultas.

MaisPB

Vídeo

MaisTV: qual estado da saúde de João Pessoa? Fulgêncio responde


Motorizado

Dona Candinha sobre a aventura do presidente no feriadão:

"Pelo menos de moto, o presidente tem EQUILÍBRIO!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quantas vezes mais Romero Rodrigues vai ensaiar saída do PSDB?
NÚMERO

70

Número de escrituras entregues, hoje, pelo prefeito Luciano Cartaxo a título de regularização fundiária de moradores de residenciais construídos pela Prefeitura de João Pessoa.