Opinião

Temer preso e os mitos caindo

21 de março de 2019 às 13h55 Por Heron Cid
Arte: Antônio Lucena

Michel Temer, ainda com cheiro da cadeira presidencial – a mais importante da hierarquia política do Brasil – está preso.

Com a queda, mais um duro golpe. Não apenas no establishment brasileiro, mas noutro fantasma: os ataques a operação Lava Jato, acusada pelo PT, especialmente, de ser partidária e estar a serviço do “golpe”.

O tempo passa e o discurso do PT e de outros abatidos ao longo da Lava Jato vai esfumaçando.

Eduardo Cunha, Geddel Vieira e Michel Temer, próceres do MDB, estão na cadeia.

O PSDB assistiu Eduardo Azeredo e Beto Richa, do PSDB, seguindo a fila.

Aécio Neves, denunciado na delação da JBS, escapa ainda pela imunidade parlamentar. Assim como Renan Calheiros.

Lula da Silva e agora Michel Temer, dois ex-presidentes desprovidos do privilégio, ruíram diante das acusações e investigações.

A Lava Jato chega ao seu quinto ano com atuação de A a Z. O efeito domínio foi de PT a PSDB, de PSDB a MDB.

Com as prisões, os mitos vão caindo: retóricos e políticos.

Vídeo

MaisTV: qual estado da saúde de João Pessoa? Fulgêncio responde


Motorizado

Dona Candinha sobre a aventura do presidente no feriadão:

"Pelo menos de moto, o presidente tem EQUILÍBRIO!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Quantas vezes mais Romero Rodrigues vai ensaiar saída do PSDB?
NÚMERO

70

Número de escrituras entregues, hoje, pelo prefeito Luciano Cartaxo a título de regularização fundiária de moradores de residenciais construídos pela Prefeitura de João Pessoa.