Opinião

Os números da Opinião e a performance de Tyrone

15 de fevereiro de 2019 às 06h00 Por Heron Cid
Em Sousa, números revelam que prefeito driblou dificuldades da crise e ganhou a exigente "torcida"

Sousa, alto sertão paraibano, acumula histórico de polarização e de posições acirradas ao extremo. É, por assim dizer, uma cidade tradicionalmente dividida.

Esse dado dimensiona o tamanho do paradigma quebrado pelo prefeito Fábio Tyrone (PSB). Na metade, sua atual gestão é aprovada por nada mais nada menos do que 78,4% dos sousenses.

Esses são os índices captados pelo acreditado Instituto Opinião Pesquisas Sociais (Campina Grande), que realizou pesquisa na cidade entre os dias 7 e 8 desse mês, portanto, um número novo e atualíssimo.

Apenas 13% dos entrevistados reprovam a maneira como Tyrone administra o município e outros 8,6% não souberam ou não opinaram.

Na extratificação, a soma de ótimo e bom alcança a marca de 71,6%, sem calcular os 19% que consideram o governo do socialista regular, o que passaria de 90%.

Somente 5% acham ruim, 3,4% péssimo e 1% não sabe ou não respondeu.

Outros 74% dizem que a cidade “está andando para frente” e 5,2% acham que o município regrediu sob o comando do atual gestor.

Numa terra marcada por tantos acirramentos, palanques armados e que respira política 24 horas, a marca é surpreendente.

Nem tanto.

A surpresa é para o mundo exterior à Sousa. Quem vive ou acompanha um pouco da vida da exigente e politizada cidade radiografa esses números no cotidiano.

E qual é o segredo em meio ao cenário de crise generalizada nas prefeituras?

Na região, Tyrone, de fato, conseguiu se situar bem acima da média pelo programa de ações e obras implantado desde o início da administração.

Com equilíbrio financeiro, capacidade própria de caixa e articulação de captação de recursos federais e estaduais, o prefeito elevou, em muito, o potencial de investimento da cidade, ultrapassando substancialmente o seu antecessor.

Fábio reproduz o êxito da bem sucedida atividade empresarial privada nos resultados da gestão pública, com saldo positivo na sua segunda passagem pela Prefeitura.

Pelas estatísticas e a probabilidade científica dos históricos de aprovações acima dos 70%, não é exagero afirmar que a reeleição nesses casos, e a esta altura, é uma consequência previsível e natural, cuja tendência adversários vão precisar suar muito para conter.

O diagnóstico do Instituto Opinião, divulgado pelo Portal MaisPB, é administrativo, mas traz outro simbolismo para o debate na praça política.

O extrato vem dias depois de um notório episódio negativo que envolveu o prefeito.

A turbulência na seara da vida pessoal de Tyrone não abalou a imagem que Sousa faz do homem público e do seu estilo de governar.

É o que, racionalmente e longe do debate emocional, a cidade expressa, por meio dos números.

(Confira aqui a matéria completa da pesquisa divulgada no Portal MaisPB)

Vídeo

Vídeo: Wallison Bezerra revela bastidores da mudança da TV Tambaú para Rede Mais


Novo descobrimento

Dona Candinha fez uma nova proclamação da República:

"O nosso 'príncipe' é princesa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Entre os secretários, quem tem mais chances de ser o ‘ungido’ de Luciano Cartaxo para 2020?
NÚMERO

 7,4%

Previsão de acréscimo ao orçamento anual do Estado de 2020 em relação ao ano passado, conforme o Plano Plurianual (PPA) 2020-2023.