Opinião

Base governista na AL; sobram deputados e falta confiança

28 de dezembro de 2018 às 09h41 Por Heron Cid

No seu melhor momento, a base política do PSB na Assembleia não se entende quanto ao que deveria ser uma simples escolha da próxima presidência da Casa. Esse é um grande paradoxo no fechamento de um ano de glória do Jardim Girassol. Mas não o único.

O da vez é o repentino encaminhamento da Granja Santana para uma votação aberta da eleição da Mesa Diretora da Casa.

E a mensagem explícita que se passa, para dentro e para fora, não poderia deixar de ser desconfortável para os deputados que permanecem e os que se despedem do Poder.

É a declarada desconfiança sobre aqueles que foram às ruas empenhados pela eleição de João e continuidade do “projeto”, agora na iminência de serem escrutinados até num processo interno por natureza e princípio constitucional.

Dois projetos de resolução tramitam: voto aberto e eleição antecipada para a Mesa. Resumo; votos ferrados é o que se pretende.

Algo inimaginável e que poucos deputados do baixo clero se permitiriam levantar numa Câmara Federal ou Senado, os parâmetros mais lógicos.

O jogo bruto até seria compreensível politicamente, não justificável, se houvesse o risco de um adversário arrebatar a caneta de mãos governistas.

Tinha algum sentido quando o plenário era comandado por um adversário juramentado, Ricardo Marcelo, em que se valiam todos os esforços e até manobras para vencê-lo.

Mas, agora, com folga e nenhum sinal de rebeldia ao comando de João Azevedo, qual é a justificativa plausível para tanta energia, pressão, desgaste e suspeitas?

Com uma oposição praticamente reduzida a poeira, o governo não tem mais com quem digladiar.

Na falta de adversário à altura, o Palácio entrou em conflito consigo mesmo e está prestes a assumir o risco de descambar, desnecessariamente, para uma intrigante autofagia, e de alimentar uma silenciosa, porém perigosa, insatisfação da coluna que o mantém de pé.

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Carnaval abre folia eleitoral de 2020”


Canonização

Dona Candinha sobre o encontro do ex-presidente Lula e Francisco, no Vaticano:

"Um santo e o Papa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Se João Azevêdo e Luciano Cartaxo se entenderem, tem segundo turno em João Pessoa?
NÚMERO

200 mil

Estimativa de público, durante as cinco noites da Festa da Luz, realizada no Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima, em Guarabira.