Opinião

Debate da OAB na TV Arapuan; a largada de cada um

20 de novembro de 2018 às 11h08 Por Heron Cid

Foi aquele encontro que, para o candidato, serve para tirar a ansiedade natural. No primeiro debate da campanha, no Frente a Frente da TV Arapuan, os postulantes à Presidência da OAB Paraíba passaram pelo teste inicial do confronto, até então limitado às militâncias, releases e redes sociais.

Ontem, Paulo Maia, atual presidente e candidato à reeleição, Carlos Fábio e Sheyner Asfóra, mostraram quem é quem. A audiência e, sobretudo, a advocacia, teve a oportunidade de dissecar o trio, em suas qualidades e limitações.

Um resumo rápido da avaliação, a partir do que assisti e de auscultas a advogados, no dia seguinte ao embate.

Carlos Fábio mostrou serenidade e usou ao seu favor a longa jornada de cargos na OAB para demonstrar conhecimento de causas, fruto de sua militância pessoal dentro da Ordem. Faltou, talvez, ser mais incisivo e se apresentar de forma mais contundente como o ‘verdadeiro’ representante da “oposição”. Foi light demais e não deu tudo o que se esperava dele.

Sheyner Asfóra confirmou a expectativa em torno de sua eloquência, herança e talento sanguíneo, se posicionou bem, especialmente, no quesito transparência, definitivamente, o discurso conceitual mais presente e encarnado na sua chapa. Deve cuidar, porém, para rechear o raciocínio de mais conteúdo e não cair no senso comum. Para quem é virgem em eleição na OAB, surpreendeu positivamente. Se pegar o embalo, pode crescer na disputa e ameaçar Carlos Fábio na corrida de ambos contra o atual gestor.

Paulo Maia deixou transparecer para as câmeras certa inquietude, um ponto a ser trabalhado pela sua equipe de campanha. Dá até para entender a razão da tensão ser diferenciada: ele é alvo dos dois adversários e vem sendo objeto de intensa artilharia, algumas até contra a honra pessoal.

Mesmo vivendo essa condição diferenciada, Maia conseguiu três fatores positivos: domínio e conhecimento sobre a realidade da OAB, feeling para falar das ações implementadas em atendimento às principais demandas da advocacia contemporânea e o mais importante, no caso dele; não se deixou ser emparedado e nem permitiu e nem deu espaço para a gestão ser “desconstruída” pelos adversários. Ou seja, pelo saldo do desempenho, não perdeu pontos, o que é um ganho considerável para quem está na dianteira.

Vídeo

Repórter MaisTV: Paraíba só tem 30 km de ferrovia ativa


Ressignificando

Se a CPMF voltasse, Dona Candinha já estava pronta para traduzir a nova sigla:

"Cota Permanente para Mamar e Ferrar (CPMF)"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
João Azevêdo diz que “há outros motivos por trás” da intervenção no PSB: quais são?
NÚMERO

57%

Percentual de ampliação dos recursos destinados para o Programa de Qualificação das Ações da Vigilância em Saúde – PQA-VS, do Ministério da Saúde, para a Secretaria de Estado da Saúde (SES), valor que saltou de R$ 700 mil para mais de R$ 1,1 milhão.