Bastidores

Xeque-mate bate à porta do TCE

16 de outubro de 2018 às 10h55

Despacho do desembargador João Benedito da Silva puxa para dentro dos autos da Operação Xeque-Mate, que investiga irregularidades em Cabedelo, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado.

Os citados são Fernando Catão e Nominando Diniz, ambos associados à suposta interferência negativa à instalação de um shopping no bairro de Intermares, o que beneficiaria o empresário Roberto Santiago, conforme apuração em curso.

Os indícios foram apurados pelo Gaeco após perícia e dados detectados no celular do empresário, apreendido no início da operação.

No relatório, o senador Cássio Cunha Lima, sobrinho de Catão, também é citado por suspeita de influência, por conta do parentesco, em decisões do tio no âmbito do TCE.

Como as autoridades mencionadas possuem foro especial, o caso foi remetido para o Superior Tribunal de Justiça. A pedido de Benedito, os autos ficarão, por prevenção, nas mãos do ministro Felix Fischer, que já relata a Xeque Mate no STJ.

Oficialmente, o TCE ainda não se pronunciou. Numa entrevista à Rádio Arapuan FM, o presidente da Corte, André Carlo Torres, disse que vai procurar o Tribunal de Justiça para obter mais informações.

Vídeo

MaisTV: qual estado da saúde de João Pessoa? Fulgêncio responde


Podia dormir sem essa

A censura contra reportagem sobre Toffoli conseguiu obrar milagre, diz Dona Candinha:

"Até Bolsonaro teve um surto democrático!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Bolsonaro terá candidatos às prefeituras de João Pessoa e Campina Grande?
NÚMERO

1 mil

Número de vagas do concurso público para o magistério, lançado hoje pelo governador da Paraíba, João Azevedo (PSB).