Bastidores

O “fico” de Romero e o escorão no “Plano P”

15 de março de 2018 às 11h02

Sem coletivas, sem alarde e nem cartas, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) se livrou do beco estreito criado pela necessidade de assumir, de vez, a pré-candidatura do PSDB, ou de precisar dar uma boa justificativa para declinação, depois de tanto insistir pelo apoio tucano.

Com uma notinha – simples e direta – na madrugada, Rodrigues a um só tempo anunciou, por gravidade, que fica na Prefeitura de Campina Grande e disse, nas entrelinhas, que não topa o Plano P, nome dado pelo Blog ao pré-projeto de candidatura do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ao Governo.

Se livrou das pressões, e diminuiu o oxigênio de Pedro, nome em ascensão que pode virar obstáculo e candidato natural à sucessão em Campina Grande.

Dois tucanos, numa só cajadada.

Vídeo

Entrevista: Anísio, da “roça” da suplência à “produção” da Assembleia


APP

Dona Candinha já tem novo nome sobre o aplicativo de mensagens russo:

"Telegrampo!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com deputado federal, senadora e vice-prefeito, o PP vai se contentar apenas com a vice na chapa apoiada por Romero em Campina Grande?
NÚMERO

361%

Crescimento da produção parlamentar da Assembleia Legislativa da Paraíba, em comparação ao mesmo período do ano passado.