Opinião

Pesquisa CNT: estradas da Paraíba, a mão e a contramão

8 de novembro de 2017 às 10h33 Por Heron Cid
Mapa do CNT aponta necessidade de melhor manutenção das estradas já existentes

Faz poucos dias que o Governo do Estado lançou, em solenidade, o livro ilustrativo do Caminhos da Paraíba, programa cuja importância é reconhecida pelos paraibanos e aqui no Blog mereceu em maio deste ano artigo especial dada sua relevância (ler).

A ação tirou 54 pequenas cidades do isolamento e ligou esses municípios ao desenvolvimento. Foram 126 estradas e uma obra final de R$ 1,4 bilhão, cujos reflexos terão longevidade para além da gestão que se finda no ano vindouro.

Ontem, porém, levantamento da Confederação Nacional dos Transportes, divulgado pelo Portal MaisPB, trouxe uma outra face da realidade da malha asfáltica estadual da Paraíba. As chamadas PB’s.

No cômputo geral, o estudo mostra que 97,6% das rodovias estaduais paraibanas são classificadas entre ruins ou péssimas, conforme se vê no gráfico abaixo. A situação da Paraíba melhora consideravelmente quando entram no cálculo as rodovias federais que cortam o Estado.

Gráfico do estudo das rodovias estaduais da Paraíba

Não se sabe qual parâmetro e qual raio de abrangência da pesquisa CNT. Se o pesquisado foi toda a a extensão ou um recorte.

Mas, a julgar pelas estatísticas de uma instituição do porte da CNT, fica uma sentença a merecer atenção.

Tão importante quanto construir novas estradas, política estruturante aqui aplaudida, é preservar, cuidar e manter as rodovias já existentes e vitais para as populações que dela precisam.

Do contrário, entramos naquele adágio/dilema de cobrir um santo e descobrir outros.

Vídeo

Xeque-Mate: Catão defende investigação; “Não perco um minuto de sono”


Lua de mel

Depois de tomar conhecimento do namoro do ex-presidente Lula, Dona Candinha sabe o que ele mais quer agora:

"Se divorciar da cadeia e casar com a namorada!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com qual sentimento a vice-governadora Lígia Feliciano acompanha a crise interna do Jardim Girassol com o governador João Azevedo?
NÚMERO

83 milhões

Número de brasileiros possuem ao menos uma compra parcelada, como mostra levantamento da CNDL/SPC Brasil.