Bastidores

Repórter na mira de um revólver, na porta do MP

25 de outubro de 2017 às 17h23

O repórter do Portal MaisPB, Albemar Santos, teve uma arma apontada para cabeça, na tarde desta quarta-feira (25), por um policial civil, ainda não identificado, na frente da sede do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado, em João Pessoa.

O jornalista relatou que estava no estacionamento quando foi empurrado pelo agente que queria passar no mesmo local.

Porém, como ele estava virado não reconheceu quem seria a pessoa. Em seguida, o agente voltou a empurrar o repórter e desta vez mais brusca, fazendo com que Albemar tombasse, quando o policial disse: “Saia do meio que quero passar”, sendo revidado pelo comunicador: “Peça licença”.

Depois disso, Albemar afirmou que ambos discutiram e o policial sacou a arma e apontou para a cabeça dele. O repórter foi para debaixo de um carro, que estava estacionado no local, para sair da mira da arma.

Todo o episódio foi testemunhado por repórteres e cinegrafistas que cobriam o depoimento do empresário Ramon Aciolly, no caso do vídeo de Bayeux.

Tudo isso na porta do Gaeco, do Ministério Público da Paraíba, onde o policial depois da ameaça foi entregar documentos e sai do local sem maiores complicações. Como se nada tivesse acontecido.

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Carnaval abre folia eleitoral de 2020”


Canonização

Dona Candinha sobre o encontro do ex-presidente Lula e Francisco, no Vaticano:

"Um santo e o Papa!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Se João Azevêdo e Luciano Cartaxo se entenderem, tem segundo turno em João Pessoa?
NÚMERO

200 mil

Estimativa de público, durante as cinco noites da Festa da Luz, realizada no Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima, em Guarabira.