Opinião

Candidatura do PSB “É pra JÁ”

15 de julho de 2017 às 09h38 Por Heron Cid

Nem bem esfriou o aceno do governador Ricardo Coutinho pelo cumprimento integral do mandato, sem afastamento, ato contínuo já está em operação.

A articulação do Governo se esforça para lançar o mais rápido possível lanças as bases do nome que ocupará este espaço de debates do PSB até dezembro.

Enquetes são feitas em emissoras de rádio e até em sites de notícias.

Mesmo sem efeito estatístico e nem regras de amostragem, serve de instrumento para agitar o noticiário e criar um clima.

Nas hostes governistas, entretanto, não há mais qualquer disputa em torno do protagonista a ser ungido.

Antes, de qualquer plenária ou discussão mais aprofundada no partido e no grupo governista, a escolha já está feita.

A inserção dos deputados Buba Germano e Estela Bezerra, no rol de opções, é só figuração.

Todo mundo sabe. O secretário João Azevedo, técnico gabaritado é homem da confiança de Ricardo, é a carta do governador.

Foi Ricardo quem pessoalmente escolheu Estela, em 2012. Foi Ricardo quem sacou Cida Ramos, em 2016. Não seria diferente agora em 2018, na sua própria sucessão.

Ao PSB cabe o papel de sempre: seguir o sinal e acatar a decisão do seu líder e maior cabo eleitoral.

Dentro do Governo, o sentimento é reinante: sem tempo a perder, a ordem é acelerar e a pré-candidatura é pra JÁ, termo associado as iniciais do secretário.

Antes, será preciso João superar o que foi o seu principal obstáculo que o levou a desistência e substituição, em 2016: a descrença e falta de entusiamo interno.

Ele terá até abril de 2018 para provar o contrário e fazer Ricardo enxergar que vale a pena ficar e ir ao sacrifício…

Vídeo

Meu comentário na Hora H: “Um dia é do ‘réu’, outro do relator”


Foliando

Dona Candinha sobre a determinação do uso de tornozeleira eletrônica para investigados na Operação Calvário:

"Isso é que é pular carnaval com um pé só!"
PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual será o despacho do desembargador Ricardo Vital, a quem cabe a tarefa de adaptar as medidas cautelares contra Ricardo Coutinho?
NÚMERO

1

Assassinato por hora no Ceará, depois do motim dos policiais militares.