Opinião

João divide diploma

19 de dezembro de 2018 às 10h52 Por Heron Cid
A imagem que deixa uma explícita mensagem que o Jardim Girassol quer passar: o diploma é dos dois

Dizem que as imagens valem mais do que mil palavras. Sendo verdadeira a máxima, essa economizaria o raciocínio do autor do Blog no artigo de hoje.

No discurso de sua diplomação, o futuro governador João Azevedo proferiu uma fala de contextualização do processo político e administrativo que o conduziu à vitória.

Vocalizou frases de efeito, falou em continuidade de posturas e compromissos, apesar da natural mudança de estilo e método.

Fez uma ode ao valor do diploma como um bem acima da relevância jurídica, mas o símbolo de um responsabilidade pública de permanente prestação de contas ao cidadão.

Ao final, guardou uma palavra especial para seu principal cabo eleitoral.

Dedicou aquele momento ao povo da Paraíba e ao governador Ricardo Coutinho, personagem vital na sucessão estadual e na vitória de outro socialista ao posto mais importante da hierarquia estadual.

Depois da predominância ricardista no secretariado, João emite novo sinal e gesto na direção de Coutinho.

A fotografia ao final deu o painel da mensagem que ambos quiseram solenemente passar: foi um mandato conquistado a quatro mãos.

Vídeo

Vídeo: a soltura de Temer; Direito versus impunidade


Déjà vu

Na hora que soube da prisão de Temer, Dona Candinha lembrou logo de uma frase profética de Dilma:

"Eu quero saudar a mandioca!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
O grupo de Luciano Cartaxo ainda mira algum projeto de poder estadual no futuro e qual?
NÚMERO

Dois

Hotéis que se preparam para aportar em Cabedelo, cidade privilegiada pela beleza de sua orla marítima, mas ainda sem exploração turística proporcional ao seu potencial.