Bastidores

Bruno não quis ‘partilhar’ Solidariedade

5 de dezembro de 2018 às 16h32
Passagem de deputado estadual pelo Solidariedade durou menos do que se esperava

O deputado Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade, quis dividir o comando do partido na Paraíba entre o atual presidente e deputado estadual Bruno Cunha Lima e o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (PSC), de quem é amigo dos tempos de Câmara Federal.

Pela proposta de Paulinho, Bruno continuaria na presidência e Manoel seria o vice.

Mas havia algumas outras cláusulas no acordo. Vamos à elas.

Manoel  comandaria o partido na região de João Pessoa e Zona da Mata. Bruno Cunha Lima ficaria com as ‘capitanias’ de Campina e Interior.

E ainda, no texto, um parágrafo único e irrevogável: alternância dos dois na presidência.

Ou seja, na eleição de 2020, Bruno não estaria no comando da legenda. Uma certa ‘fraqueza’ de Paulinho da Força.

Nesses termos, houve distrato e o deputado que ficou conhecido por ser solidário à causa do câncer deu adeus ao Solidariedade… Onde Manoel encontrará abrigo.

Vídeo

Luís Tôrres: “Esse governo não precisa inventar”


Pra evitar confusão

Dona Candinha protestando contra a ministra Damares Alves:

"Abaixo o Outubro Rosa e o Novembro Azul!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Luciano Cartaxo fará uma reforma cosmética ou cirúrgica na equipe de gestão?
NÚMERO

1.500%

Aumento das buscas no Google pelo nome da ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, após polêmicas.