Bastidores

Bruno não quis ‘partilhar’ Solidariedade

5 de dezembro de 2018 às 16h32
Passagem de deputado estadual pelo Solidariedade durou menos do que se esperava

O deputado Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade, quis dividir o comando do partido na Paraíba entre o atual presidente e deputado estadual Bruno Cunha Lima e o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (PSC), de quem é amigo dos tempos de Câmara Federal.

Pela proposta de Paulinho, Bruno continuaria na presidência e Manoel seria o vice.

Mas havia algumas outras cláusulas no acordo. Vamos à elas.

Manoel  comandaria o partido na região de João Pessoa e Zona da Mata. Bruno Cunha Lima ficaria com as ‘capitanias’ de Campina e Interior.

E ainda, no texto, um parágrafo único e irrevogável: alternância dos dois na presidência.

Ou seja, na eleição de 2020, Bruno não estaria no comando da legenda. Uma certa ‘fraqueza’ de Paulinho da Força.

Nesses termos, houve distrato e o deputado que ficou conhecido por ser solidário à causa do câncer deu adeus ao Solidariedade… Onde Manoel encontrará abrigo.

Vídeo

Vídeo-comentário: Ricardo vai tomar café quente até o fim


Esperança

Ao ler a lista do anúncio dos mesmos secretários no futuro governo da Paraíba, Dona Candinha não se aguentou:

"Agora é esperar que, pelo menos, João troque o governador!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Sem anúncio para a Segurança, Claudio Lima – no cargo há oito anos – fica ou, finalmente, despede-se?
NÚMERO

7

Número da apertada diferença de votos entre George Coelho (67) e Dudu Martins (60), na eleição da Famup.