Bastidores

Sem 2º turno na PB, eleição da OAB é a bola da vez

10 de outubro de 2018 às 10h58
OAB Paraíba; duas forças políticas disputam espaços de poder na Ordem

A eleição da sucessão da OAB Paraíba começou já faz tempo. Aliás, desde quando sentou na cadeira de presidente, Paulo Maia trabalha nessa direção, embora tenha se comprometido a não disputar a reeleição. Coisa de campanha.

O seu principal adversário é um ex-aliado, Carlos Fábio Ismael, atual presidente da Caixa dos Advogados, uma estrutura importante dentro da engenharia da Ordem.

Carlos Fábio e seu grupo romperam em pouco tempo de mandato. Desde então, não deram sossego àquele a quem ajudaram a eleger numa disputa histórica e fazem-lhe dura oposição.

Não precisam de muito esforço e nem competência para tanto.

A gestão tem notáveis fragilidades conceituais. Mas, mesmo assim, politicamente vem se sobressaindo com atração e adesões de grupos advocatícios que votaram contra na eleição anterior.

Nesse quesito, Maia faz bem o dever de casa e é um candidato com potencial.

Enfrenta, no entanto, adversários que conhecem-lhe bem: suas qualidades e limitações.

Sem segundo turno na eleição da Paraíba, o pleito da OAB será uma atração à parte até novembro e chamará atenção da audiência e da opinião pública pelos próximos dias.

Quem vencerá? Voltaremos ao tema, dissecando os meandros das estratégias dos dois lados e avaliando os erros e acertos da atual gestão. Até!

Vídeo

Secretário de Segurança da PB vê “muita coisa boa” no Plano de Moro


Terapia federal

No auge da sua experiência, Dona Candinha já sabe o que o Governo Bolsonaro mais precisa nesse momento:

"Divã!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Com quantos deputados a oposição realmente conta na Assembleia?
NÚMERO

65 e 62

Idades mínimas para aposentadoria de homens e mulheres, respectivamente, constante da proposta do Governo Federal para a reforma da Previdência.