Bastidores

Deixa o general falar. Por Ricardo Noblat

28 de setembro de 2018 às 09h00
Antônio Hamilton (Foto: Beto Barata/Estadão)

Uma infecção adiou a alta hospitalar do deputado Jair Bolsonaro (PSL) prevista para hoje. Ele embarcaria para o Rio de Janeiro em grande estilo – aos cuidados da Polícia Federal, na companhia de pelo menos 12 pessoas, e em avião de carreira. Seria aclamado à partida e à chegada. Glória a Deus!

Segundo o boletim médico, é normal que a retirada de um cateter provoque leve infecção a ser superada em questão de dias. O que ele talvez não supere até o fim da eleição e mesmo depois dela será o efeito corrosivo da infecção que atende pelo nome de Mourão. Ela é muito mais perigosa.

Quando o general da reserva, seu vice, fala alguma coisa – qualquer coisa -, é certeza de encrenca, e das brabas. Mourão não entende de nada – nem de economia, mas isso Bolsonaro também não entende, nem de política, e isso Bolsonaro razoavelmente entende.

O enfermo do Hospital Albert Einstein foi obrigado a postar uma nota nas redes sociais desautorizando Mourão pelo o que ele havia dito em palestra para empresários gaúchos. Mourão investiu contra o pagamento do 13º salário e de férias remuneradas, “jabuticabas brasileiras”, segundo ele. Coisa somente nossa.

Veja

Vídeo

Vídeo-comentário: “fantasma” do Caso Marielle assombra Palácio do Planalto


Extremos

Dona Candinha sobre os últimos acontecimentos na Ágora paraibana:

"Um governo que não tem limites e uma oposição limitada!"

PONTO DE INTERROGAÇÃO
Qual é o clima governista para enfrentar a oposição esta semana na Assembleia, pós-prisão de Livânia?
NÚMERO

71

Número de vagas do concurso público anunciado pela Prefeitura do Conde, litoral sul paraibano.